Falcon, o herói de verdade – Estrela (1977)

Falcon, o herói de verdade - Estrela (1977)

Com 12 anos eu gostava de brincar com meu bonequinho de paraquedas que vendia na feira. A gente enrolava o barbante e jogava para cima para ver o danado “cair com estilo”.

Já o Falcon era mais sofisticado, um brinquedo para uma ocasião especial como Natal ou aniversário. Vendia nas Lojas Americanas, na Mesbla ou no Mappin, mas eu nunca tive.

Cheguei a brincar de Falcon com um amigo que emprestava nas tardes que passávamos todos juntos após a escola. A Estrela sempre sabia o que a gente queria, incrível isso…

Publicado no Tio Patinhas de nov/1977 – Cr$ 9,00.

Frutilly Maça Verde (1991)

Frutilly Maça Verde

Uns amavam e outros odiavam o Frutilly com sua mistura diferente de sorvete de fruta com creme.

Não era excepcional, mas era um dos picolés mais baratinhos e uma boa opção para nossas moedas em dias quentes do verão.

A propaganda também apresenta o logo clássico da Kibon (com o K estilizado) e um dos melhores slogans já feitos: É gostoso e fez bem. Criativo, não?
Publicado em Condorito número 1- Setembro de 1991- Preço da edição: Cr$490,00

Revista Ação Games (1995)

Você se lembra onde aprendíamos a dar um Fatality no Mortal Kombat? Lembra como você descobriu que existia um seletor de fases no Sonic 2 de Mega Drive?

É, meu amigo… a única alternativa era comprar uma revista de games nas bancas. Sem internet, era assim que conseguíamos “debulhar” um jogo, usar truques ou aprender golpes novos.

Me lembro bem da Super Game Power (fusão das revistas Super Game e Game Power) e a Ação Games. Eram mesmo as melhores.

Reparem nos jogos em destaque nas capas do anúncio: Ecco The Dolphin 2, Jurassic Park 2, Illusion of Gaia para SNES, Super Street Fighter 2, e a promoção que daria um Sega CD.

Fiz minha mãe pagar 12 prestações de R$ 50,00 por um Sega CD em 1995 (hoje seria algo em torno de R$ 1.500,00) para jogar exclusivamente Sonic CD, já que era quase impossível de se achar jogos para comprar… Acho que hoje a raiva dela já passou… rsrs

Bons tempos, bons tempos.

Publicado em Superaventuras Marvel 154 – Ed. Abril, Abril de 1995 – R$ 1,60

Caloi (1979)

O recado que uma geração de pais teve que aguentar de forma insistente (principalmente no Natal): Não esqueça a minha Caloi.

Até o Cebolinha fez parte do coro. O negócio era mesmo vencer pelo cansaço.

E olha que naqueles tempos as crianças não tinham tanta voz para exigir algo dos pais…

*Publicado em Capitão América número 7- Dezembro de 1979 (Contribuição do amigo Péricles Chiarelli)

Lápis de cor aquarelável Faber- Castell (1997)

 

iPad? Smartphone? Playstation 3? Tablet? Que nada… meu sonho de consumo era ter uma caixa desses lápis de cor aquareláveis de 36 unidades.

Infelizmente só tive as caixas com 12 e 24 lápis de cor. Eles sempre apareciam naquele “pacotão” de início de ano em que os pais compram de uma só vez o material escolar para o ano inteiro: 5 canetas azul bic, 4 lápis preto n°2, 2 borrachas brancas, 1 borracha colorida (metade vermelha, metade azul), 1 cola Tenaz (ou Pritt), 8 cadernos, plástico para os cadernos, plástico para forrar a carteira, régua de acrílico, etc, etc, etc…

Não podia reclamar da caixa com “apenas” 12 lápis de cor. Afinal de contas acho que boa parte do décimo-terceiro dos meus pais iam embora com o presente de natal e o material escolar do início do ano. (fora os livros didáticos que eram outra facada para os bolsos deles)

Talvez as tais 36 cores eram uma extravagância apenas para as famílias mais abastadas. Não era o meu caso…

Publicado em Chico Bento número 283- Novembro de 1997- Preço da edição R$1,40

Ferrorama Estrela (1979)

Ferrorama Estrela

No final da década de 70 um dos brinquedos mais queridos era o Ferrorama da Estrela. Era uma sensação ter nas mãos “o primeiro trem elétrico automático do Brasil”.

Venho de uma família de ferroviários e aprendi a amar os trens desde pequeno. Hoje adoro ferreomodelismo, coleciono os trens da Frateschi em escala HO.

Nunca me esqueci do Ferrorama  e dos momentos que passei  curtindo  uma parte gostosa da infância.  A Estrela sempre foi sinônimo de qualidade.

Propaganda no Tio Patinhas nº 173 de dezembro/1979 – Cr$ 16,00

DinOvo (1998)

chicletes DinOvo

Chiclete em formado de ovo colorido de dinossauro? Nos dias atuais um produto desses talvez fosse até ridicularizado.

Era um dos meus preferidos. Infelizmente também foi um dos responsáveis por muitas idas ao dentista.

Um anúncio do tempo em que o Trident não dominava o mercado de chicletes.

Publicado em Chico Bento número 302- Agosto de 1998- Preço da edição R$1,40