Alan Ford (1975)

 

Alan Ford era uma história em quadrinhos italiana sobre um agente secreto. O título também foi publicado no Brasil pela Editora Vecchi. Alguém chegou a ler?

Apesar de ser uma propaganda comunicando o lançamento, parece mais com um anúncio calhau – como um anunciante não comprou a 3a capa, o espaço foi usado internamente.

Publicado em Pimentinha número 8 – 1975 – Cr$ 3,00

Coca-Cola (1975)

Image

O que acontece se misturarmos um farmacêutico, um contador com uma bela caligrafia e um xarope feito à base de folhas de coca?!!? Alguém arrisca?!?!

P.S: Sobre a propaganda… se uns 15 anos atrás eu soubesse que além do papo eu também precisava de uma coca… tinha me poupado de alguns constrangimentos!

Publicado em Mickey 277 – Cr$ 3,00 – Nov/75

Papinha/ Fogo Cruzado da Estrela (1975)

ze carioca numero 1257- Cr$2,00- dez 75

Taí uma propaganda que provavelmente nunca iremos ver.

Que publicitário em sã consciência colocaria a mensagem “Peça para o Papai Noel”?  A mocidade serelepe dos dias atuais é mais pra frentex e deixou de alimentar a ilusão de tempos mais ingênuos.

Mas uma propaganda dessas em 1975 até que arrebentava a boca do balão!

Publicado em Zé Carioca número 1257- Dezembro de 1975-  Cr$2,00

PS: Dessa vez o anunciante apelou demais. Ao invés do clássico “Peça para a mamãe”, ele colocou “Peça para a mamãe, o papai, a vovó, o titio”. Haja desespero!

Futebol de botão da Gulliver (1975)

Image

Chamar este daqui de “CLÁSSICO” é chover no molhado!
Clássicos de verdade eram os embates futebolísticos que travávamos nas tardes depois da lição de casa!
Foi assim que eu descobri o time do meu coração!
(Dá-lhe, Ferroviária de Araraquara!!!!)

P.S = Quem nunca precisou substituir um goleiro faltante por uma caixinha de fósforo!!
Ótimos tempos!!!

Publicado em Mickey 270 – Cr$ 2,50 – Abr/75

Linha Phebo Turma da Mônica (1975)

Phebo 2

Havia um antigo comercial que dizia que “liberdade é uma calça velha, azul e desbotada”. Até que faz sentido… mas na minha infância felicidade mesmo era tomar um banho após brincar o dia inteiro na rua com esse shampoo de formato estranho, tampa amarela e suave perfume.

A propaganda retrata o lançamento da linha Phebo Turma da Mônica. Uma multidão de crianças correram para o super-mercado (com hífen mesmo, como na propaganda) e conheceram uma linha própria para o público infantil que marcou época.

Mas foi a Paula a primeira que viu. Em 1975!

Phebo Turma da Monica

Publicado em Mônica número 62- Junho de 1975- Cr$2,50

Mobilete Garelli (1975)

Mobilete Garelli

Embora eu não tenha vivido nos anos 70, nos anos 80 uma mobilete ainda era o sonho de consumo de qualquer adolescente.

Mas eu nunca nem ousei pedir uma para meus pais, pois se com a bicicleta às vezes eu já voltava para casa com o joelho todo estourado, imagine em um veículo motorizado!

Com 50cc de potência, uma motinho dessas não exigia nem emplacamento nem carteira de habilitação. Por isso o apelo onde “o garotão, a menininha ou o irmão mais velho” podiam desfrutar da sensação de liberdade.

Destaques para o look anos 70 da garota da foto, e também de uma época onde “para saber mais” sobre o produto, não existia nem em sonhos um site. Você tinha que preencher o cupom, enviar para então receber um folheto explicativo pelo correio.

E se você quiser saber por onde anda a Garelli, ela ainda existe firme e forte, mas agora em Brasília. O site é http://www.garelli.com.br

Publicado em Mickey 276 – Out/1975 – Cr$ 3,00