Playcenter (1981)

 

O mundo de fantasia que já não existe mais.

Tempos de Splash, Tornado, Barco Viking, Evolution, La Bamba, Castelo dos Horrores, etc, etc, etc…

Nem sei se os brinquedos eram seguros ou não, mas com certeza eles garantiram bons momentos para a infância de muita gente.

*Contribuição de Péricles Chiarelli- Publicado em Capitão América número 31- Dezembro de 1981

Anúncios

Chambinho (1981)

Se Danoninho é um clássico até hoje, houve uma época que as prateleiras eram disputadas pau a pau com o Chambinho da Chambourcy.

Hoje os mercados expõem dezenas de marcas de “petit-suisse”, mas nenhuma é tão charmosa e clássica quanto Danoninho e Chambinho em minha opinião. Ao menos foram as que marcaram minha infância nos anos 80.

Agora olhem só que interessante: Assim como “Bombril” é sinônimo de palha de aço, “Gillette” é sinônimo de lâmina de barbear, “Chambinho” para mim sempre foi sinônimo de “Danoninho”, que desde pequeno eu encarei como uma espécie de iogurte.

Mas o Chambinho é bem direto na sua descrição: é um queijinho. Óbvio. Será que eu fui a única criança a ignorar essa verdade?

Publicado em Pato Donald 1572 – Dez/81 – Cr$ 38

Câmera Love (1981)

Câmera Love

Antes da câmera digital!
Antes do celular que tirava foto!
Antes da Tek Pix!
O bacana era registrar os momentos marcantes com uma câmera LOVE!

Em tempos em que uma câmera fotográfica não era um gadjet qualquer e sim um ativo permanente
(Lembram se do preço de uma linha telefônica? O espírito era esse.) a LOVE era uma das melhores opções para registrar aquele momentos inesquecíveis!

Tenho memórias vagas sobre ela, mas o pouco que descobri pesquisando me fez crer que ela
possuía um ótimo custo X benefício.

Por exemplo:
Se você comprasse uma LOVE pelo anúncio das revistas, você recebia outra LOVE de brinde.
Quando você revelava as fotos, você também já recebia uma outra LOVE para continuar seus cliques. Legal, né?
Seriam esses os primeiros passos do conceito de fidelização do cliente?!

Publicado em Zé Carioca 1545 – Jun/81 – CR$ 45

Neston (1981)

Neston Nestlé

Não sei se os publicitários ficaram menos criativos ou se os slogans não fazem tanto efeito como antigamente.

O slogan “Existem mil maneiras de preparar Neston. Invente uma.” perdurou por anos e anos nos anúncios impresos e de TV. Uma forma bem inteligente de promover o produto.

As crianças que aparecem no anúncio são muito “anos 80” (o óculos, o cabelo, as expressões, etc). Bem… elas não tinham computadores, mas ao menos estavam inventando uma forma de preparar Neston.

Publicado em Almanaque Festa do Bolinha e da Lulu número 9- Novembro de 1981- Preço da Edição: Cr$100,00