Achocolatado Brown Cow (1985)

browncow
Achocolatado Brown Cow

A eterna guerra dos achocolatados nem sempre teve Nescau & Toddy como protagonistas. Alguns guerreiros valentes também fizeram por merecer a sua posição de destaque nesse embate.

O achocolatado Brown Cow era líquido, e não em pó. Dissolvia relativamente fácil no leite, tinha um sabor encorpado e consistente, e era bem docinho. Eu experimentei na época e gostei!

E para os saudosistas de plantão, o produto voltou a ser vendido. É possível encontrar até hoje nas prateleiras de mercados da rede Extra e Pão de Açúcar. Eles tem até página no Facebook. Faz um tempinho que não é atualizada, mas vale o registro: Brown Cow no Facebook

Publicado em Almanaque Disney 164 – Janeiro/1985 – Cr$ 1800,00

Chapinhas Kibon da Aviação (1962)

Chapinhas da Aviação Kibon
Chapinhas da Aviação Kibon

Na charmosa década de 60, que eu não vivi mas gostaria de ter conhecido, já haviam as coleções que movimentavam o universo infanto-juvenil.

Essa prática se seguiu até os anos 90, seja com as coleções de cartões temáticos do chocolate Surpresa, ou com os famosos Tazos.

Não há dúvidas que um palito premiado no sorvete gera sensações tão boas quanto o próprio sorvete.

Bendita época a das coleções!

Publicado em Mickey 121 – Novembro de 1962
Cr$ 35,00

Nescau (1973)

Nescau

Havia um tempo onde as coisas eram mais simples (e, consequentemente os brindes também).

Havia um tempo em que alguns produtos tinham mais sabor (e, consequentemente a vida também). Assim era o Brasil no início dos anos 70.

Publicado em Almanaque Disney nº 26- Julho de 1973 – Cr$ 2,50
Texto e imagem fornecidos pelo amigo Silvio Elizei.

Danoninho (1979)

danoninho Confesso que essa propaganda me deixou com vergonha alheia. Mas antes, a parte boa: Reparem que haviam disponíveis no mínimo 5 sabores de Danoninho: Morango, Abacaxi, Pera, Banana, Ameixa e “reticências” (dando a entender que ocasionalmente lançavam-se sabores novos).

Outra coisa que me dá saudade é a fórmula antiga do Danoninho. Não sei o porquê, mas toda vez que eu vejo escrito nos rótulos “nova fórmula” sinto que estão matando uma parte da minha infância. Não me recordo de NENHUMA ocasião onde eu tenha degustado um produto com “nova fórmula” e ter dito em seguida: “Uau, agora sim atingiram a perfeição.” Com o Danoninho não foi diferente.

Terceira curiosidade: Reparem a tabela nutricional. Me traz à mente o antigo jingle do comercial de televisão: “Lipídios, glicídeos, protídeos, cálcio, ferro, fósforo e Vitamina A. Me dá mais saúde, mais inteligência, me dá Danoninho, Danoninho já. Me dá.”  (http://youtu.be/8aQtO58JP_M)  Enquanto crianças, não sabíamos o que era nenhuma dessas coisas, mas já tínhamos a certeza que eram necessárias para ficar fortes e inteligentes. Campanha genial!

Agora… a parte da vergonha alheia. O incentivo das propagandas eram sempre para reaproveitar as embalagens de Danoninho. Existem algumas com instruções para se montar um foguete, uma caravela…. mas essa máscara de carnaval aqui está assustadora! Gente,  olhem a figura do canto inferior direito… É feio demais. Hehehe

Ah, outra observação: Com certeza a turma do politicamente correto também baniria, nos nossos dias, o incentivo para que a criança usasse tesoura com ponta e alfinete. Acho que até eu furaria meu dedo ao tentar fazer isso.

E então,  o que acham? Teriam coragem de usar “a fantasia mais gozada que a turma já viu?”

Publicado em Cebolinha n. 73 (Editora Abril), fevereiro de 1979 – Cr$ 9,00

Farinha Láctea Nestlé (1961)

Farinha Lactea

Tá certo que esse produto fez parte da infância de muita gente, era uma opção nutritiva e barata, até que era gostoso, etc, etc… mas alguém já pediu um refresco de farinha láctea? Refresco?

Uma ótima opção para tardes quentes de verão: um delicioso refrêsco (com acento circunflexo como na propaganda) de Farinha Láctea Nestlé.

Publicado em Zé Carioca (O Pato Donald apresenta) número 513- Setembro de 1961- Preço da edição Cr$15,00

Tostines Recreio (1983)

Tostines Recreio

Uma propaganda de Tostines Recreio de 1977 já foi postada em nosso blog:https://propagandasdegibi.wordpress.com/2012/09/16/recreio-tostines-1977/

Encontramos uma de 1983 e notamos o seguinte: Os 5 sabores continuavam os mesmos. O tamanho da embalagem também.

Infelizmente, a maquiagem de produtos é coisa que existe de uns 15 anos para cá. Hoje as bolachas wafer são tão finas que esfarelam na mão.Em 1983 ainda não existia nem mesmo o famoso slogan de Tostines: “Vende mais porque é fresquinho ou é fresquinho porque vende mais?” Nostalgia mode on. Chega até a dar saudade da escola…
Publicado em Batman nº 67 – Março de 1983 – Editora Ebal – Cr$ 150,00

Picolé Yopa (1980)

Picolé Yopa (1980)

Hummm!!! Como era gostoso o Picolé Yopa nos anos 80.
E ainda tinha esta promoção de prêmios no palito.
O sorvete era muito bom, e a gente ainda ficava torcendo para ganhar um toca-discos, um gravador ou até uma bicicleta.
No meu caso, cheguei a ganhar outros picolés Yopa, o que foi muito divertido também, pois a chance de ganhar aumentava.
Bons tempos…

Publicado no gibi Mickey nº 329 – Março de 1980,