Mini-Fórmula 1 Ping Pong (1986)

pingpong
Mini-Fórmula 1 Ping Pong (1986)

A primeira vez que eu vi essa propaganda na infância foi num gibi usado. Meus olhos brilharam e eu fiquei incrédulo, admirando a imagem por horas.

Quer dizer que uma criança como eu poderia ter um carro de verdade movido à gasolina? Esse era o meu sonho mais louco! Mais do que ganhar o Master System! Não iria querer mais nada se eu tivesse um carro desses.

A alegria sumiu em instantes quando eu vi o período de validade da promoção…. 15/11/1986. Acredito que era o ano de 1989 quando eu vi essa propaganda. Em 1986 eu tinha meros 5 aninhos.

Bem, confesso que depois disso fiquei esperando outra promoção semelhante. Hellooo, Ping-Pong. Já estamos em 2016, e cadê meu mini-fórmula 1? Tenho milhares de embalagens de chiclete e algumas obturações nos dentes até hoje. Acho que estou mais que credenciado para ganhar isso aí, não?

Propaganda fornecida pelo nosso leitor Fabiano Carapuça
Publicado em Margarida 03 – Ed. Abril – Agosto/1986 – Cz$ 4,50

Chicletes Adams (1958)

Chiclets Adams
Chicletes Adams

Houve uma época em que ninguém conhecia Roberto Carlos, simplesmente pelo fato de que ele ainda não havia iniciado sua carreira musical. Talvez você pense: “Meu Deus! Quando foi isso?” Pois é… Foi uma surpresa para mim descobrir que os Chicletes Adams existem desde essa época. Com tantos “vai-e-vens” de produtos considerados clássicos, eu considero um verdadeiro milagre um produto tão pequeno perdurar por pelo menos 57 anos nas prateleiras dos comércios sem praticamente nenhuma alteração. Até a caixinha amarela continua a mesma.

Eu acho engraçado que as propagandas dessa época mostravam crianças se divertindo, e o produto anunciado prometia energia e força. Isso fazia sentido com o Nescau (que continha vitaminas), sucos naturais e afins, mas… o que um chiclete tão pequeno poderia conter para provocar uma “virada de jogo” e tornar um time campeão? Será que o sabor do chiclete era de espinafre (do Popeye?)

A única coisa condizente é ter a boca fresca e a garganta aliviada. Isso faz todo o sentido, pois quem já experimentou sabe que esse chicletinho é pequeno mas proporciona essa sensação. Tão deliciosos! Tão refrescantes!

Publicado em Mickey 72 – Setembro/1958 – Cr$ 10

Ping Pong – O Corcunda de Notre Dame (1996)

Image

Essa aqui era daquela época em que você torcia pra moça da padaria te dar o troco em chicletes!
Afinal, o que se podia fazer se ela não tivesse troco?!?!
Levar mais pães pra casa?!!?
Este aqui também é um típico anúncio de chicletes dos anos 90!
Além de anunciar um novo sabor escalafobético (Gostaram dessa gíria?! Tô tentando trazer ela de volta!!), também fornecia alguns exemplos de como seriam as figurinhas e lá no finalzinho dele está lá a clássica instrução = Junte 5 embalagens para ganhar um álbum e mande para a Caixa Postal…

Eu não me lembro se cheguei a me arriscar com esse Ping Pong Manga, mas eu juro que faria isso pra essas promoções voltarem!!

Publicado em O Homem Aranha 158 – R$ 2,20 – Ago/96

Ping Pong Toy Story (1996)

Image

Tava aqui tentando puxar pela memória qual produto ainda se utiliza dessa prática dos brindes bacanas pra presentear/conquistar/fidelizar (ou qualquer outro sinônimo) seus consumidores.
Estou falando de brindes de verdade, não da compra casada praticada por alguma cadeias de fast food.

O chicle Ping Pong sempre fez isso muito bem (e também sempre foi minha opção de goma de mascar predileta!)
Creio que eles me fisgaram com o álbum do Pantanal.
Logo em seguinda veio álbum da Amazônia.
Depois veio o do Fundo do Mar e jamais me esquecerei do álbum do Rei Leão!!

Como era bom receber chicletes Ping Pong no lugar do troco!!

Publicado em Super Homem 144 – R$ 2,10 – Jun 96

Chicle de bola Adams (1968)

adams

Um dos diferenciais no dificílimo processo de compra de um chiclete no século passado era saber qual deles fazia a maior bola! (Nem que para isso colocássemos 38 chicletes ao mesmo tempo na boca)

A patrulha do politicamente correto odontológico ainda estava muito distante e o cachorrinho da propaganda poderia ficar impressionado com as bolas de chicletes que faziam as crianças levitarem. Outros tempos…

Quanto ao chiclete da Adams anunciado confesso que tenho lembranças nulas a respeito dele. Da Adams só me lembro do clássico Mini Chicletes, Bubbaloo e daquelas caixinhas com duas ou doze unidades. Alguém chegou a mascar (e fazer bolas) com o chicle deste post?

Contribuição do grande amigo mascador de chicletes Marco Antônio!!!- Publicado em Nick Holmes n° 46- 1968

Chicletes Big Big (1998)

Chicletes Big Big

Era quase um pedaço de pedra mastigável, mas também era a opção mais econômica. Na padaria perto de casa o Big Big custava acessíveis R$0,03!!! Uma pechincha frente aos R$0,05 do Ping Pong e aos R$0,10 do Bubbaloo.

Assim como as balas de cereja e eucalipto, o Big Big também tinha as suas figurinhas com mensagens (pelo menos nessa coleção Signos). Isso ainda existe ou ninguém mais dá atenção a uma mensagem de uma bala?

É curioso como é possível ter boas lembranças mesmo de algo que me causou tantas obturações e idas ao dentista…

Publicado em Cebolinha número 145- Novembro de 1998- Preço da edição R$2,00

Mini Chicletes Adams (1986)

 Mini Chicletes Adams
Mini Chicletes Adams

Bem que a Adams poderia aproveitar o slogan dessa propaganda e dar um repeteco no Mini Chicletes.

Talvez poderia ser até um companheiro do Lollo nos caixas das padarias. Meus dentes reclamariam, mas minha memória afetiva agradeceria muito.

Uma curiosidade: segundo a embalagem, um pacote de Mini Chicletes tinha exatas 155 pastilhas coloridas. Alguém tinha coragem de não mascar todas de uma só vez?

Publicado em Almanaque do Zé Carioca número 2- Novembro de 1986- Preço da edição Cz$7,00