Canetinhas Playcolor (1993)

123

(ou recado pra um dos meus “EUs” passados)

Se você pudesse dar um recado pra um dos seus “EUs” passados, (que não fosse do tipo compre dólares ou NÃO invista em ações de empresas que apostaram no Betamax) o que você diria?!

Difícil?!
Eu sei o que eu diria!
Eu diria o seguinte:
– Pequeno Leopoldo! (Era assim que minha mãe me chamava!)
Não faça os seus mapas de história/geografia e as suas lições de educação artística com tanta pressa!!
Esqueça um pouco a bola ou a TV, sente-se e dedique-se sem afobação!!
Pinte num sentido só, mas não respeite tanto as linhas!
Não carregue tanto a mão ao pintar (ou carregue se sentir que precisa)!
Se as retas não ficarem tão retas não tem problema!
A vida também não é tão reta!!!
Não desista de tentar CRIAR mesmo que receba retornos negativos sucessivos!!

Nunca, jamais, em hipótese alguma, coloque água nas suas canetinhas!!!
Isso vai salvar algumas toalhas de mesa e poupar o seu traseiro de alguma chineladas!!

Publicado em As Aventuras dos Trapalhões 39 – Cr$ A16 – Veja Tabela – Fev/93

Anúncios

Biscoito Passatempo – É divertido comer. (Com toda a certeza!) (1995)

123

Atire o primeiro biscoito aquele que nunca tentou formar seu nome enquanto comia um pacote de Passatempo!!!

(2 biscoitos se você ainda mantém esse hábito apesar da quantidade infinita de anos que se passaram entre a sua infância e essa manhã de domingo!!)
O curioso nessa história de anos vividos é que alguns produtos simplesmente quebram essa barreira do tempo e nos levam de volta àquela época tão gostosa, divertida e colorida chamada infância!!
É exatamente isso que me acontece quando eu abro um pacote de Passatempo ou preparo um copo de groselha Milani!
Num piscar de olhos, lá estou eu de novo com uma bacia de biscoitos na mão, sentando no sofá e assistindo o Pernalonga dizer que deveria ter virado à esquerda em Albuquerque!!!

Delícia de tempos!
Delícia de biscoitos!!!

Publicado em Cascão 228 – R$ 1,00 – Set/95

Linha Turma da Mônica Perdigão (1999)

134

(Porque nem só de bisnaguinha com manteiga vive um jovem!)

Há muito tempo atrás (nem tanto assim) nesta mesma galáxia, duas empresas disputavam entre si para saber quem tinha a salsicha (e outros derivados dos porquinhos) mais saborosa do Brasil!!
A empresa que começava com S (e que tinha um franguinho como “garoto propaganda”) sempre esteve na frente!
O que a empresa que começava com P resolveu fazer?!!?

Criar uma linha de produtos da Turma da Mônica!!!

O resultado dessa batalha épica?!?!

Digamos que a empresa vencedora não foi aquela com a salsicha mais gostosa, e sim aquela que não ficou brincando de “derivativos”!

Moral da história = Não brinquem com o dólar!!!

Publicado em Magali 259 – R$ 1,50 – Mai/99

Os Trapalhões e a Árvore da Juventude (1991)

P_20150222_185118 (1)

(ou uma publicação inspirada pela festa do Oscar) (ou o meu 1º filme num cinema não foi um filme dos Trapalhões!)

A 1º pessoa que me levou a um cinema foi meu pai.
(Coincidências da vida ligados à afirmação anterior = encontrei essa propaganda hoje, hoje é aniversário do meu pai e também noite de Oscar.)
Acho que por tudo isso e um pouco mais estava aqui recordando da minha 1º vez no cinema.

K-9 – Um policial bom pra cachorro!!!

Esse foi meu 1º contato com um cinema!
Lembro que eu e meu pai fomos ao centro de SP, no cine Comodoro assistir a esse belo e “inesquecível” representante da 7º arte!
E no final ainda ganhei um carrinho de fricção!! (Era um porsche cinza!)
(Não me perguntem como sou capaz de lembrar de tudo isso ou de como estava o dia quando eu comprei a edição nº 8 de Liga da Justiça e Batman e simplesmente não consigo mais resolver uma equação de 2º grau ou definir o que seria um mol!)
Apesar da película questionável escolhida para a minha 1º vez, me apaixonei de tal forma que nunca mais deixei de frequentar cinemas e locadoras.
Estava me lembrando também que depois dessa, poucas foram as outras vezes que fui no cinema com o meu pai! (depois essa tarefa foi delegada à tias e à minha mãe.)
Vimos De Volta para o Futuro 3, vimos os Trapalhões na Terra dos Monstros, vimos Debi e Lóide 1 e a última vez que fomos a um cinema juntos foi para prestigiar o lançamento do 1º filme dos X-men.
Pelas minhas contas (e a pela Wikipedia também) esse filme foi lançado em 2000.
Logo…
Não me perguntem o que aconteceu. Talvez a ideia um mundo dominado por mutantes tenha sido demais para ele ou talvez seja um sentimento de missão cumprida ou talvez seja NDA.

Como qualquer memória que nos enche de saudade, tenho uma vontade enorme de reviver esses pequenos momentos, mas ao mesmo tempo morro de medo de estragar essas lembranças que de tão gostosas fazem até com que eu sinta o cheiro da pipoca enquanto estourava ou da fumaça do ônibus vermelho da CMTC ao voltar pra casa.

Coisas da vida.

Publicado em As Aventuras dos Trapalhões 23 – Cr$ 330,00 – Out/91

TVA (1997)

20131011_082516

A TVA (ou Televisão Abril) foi uma operadora de televisão por assinatura que surgiu em terra Brasilis no começo da década de 90. Em tempos de Plano Collor, Verão e etc, isso quer dizer que a TVA era a TV que somente as pessoas de sangue azul poderiam assistir (salvo algumas exceções)!

É aqui que começa o meu pequeno conto (com a parte das exceções)!

As décadas de 80 e 90 tinham um costume que caiu em desuso nesse novo milênio. O nome desse costume? Ele era popularmente conhecido como BRINDE! Ele funcionava de maneira bem simples. Por exemplo, se você gostaria que alguém comprasse as figurinhas do álbum da copa que você havia lançado, você ia até as escolas e ofertava GRATUITAMENTE  o álbum. Se iria lançar uma série de fascículos, você ia até as escolas e ofertava GRATUITAMENTE  o primeiro exemplar. Pegaram o raciocínio?

Uma das principais modalidades de brinde da TVA era abrir o seu sinal exclusivo em determinadas datas para que a plebe/base da pirâmide pudesse ter um gostinho/vislumbre do maravilhoso mundo da TV por assinatura (nessa época ainda não tinha sido inventado o conceito de reprise exaustiva).

Foi graças a um desses “momentos altruístas” dessa pioneira em TV a cabo que eu tive meu primeiro contato com Fresh Prince (nada de Um Maluco no Pedaço), o desenho do Batman, Pinky e Cérebro, Animaniacs e clássicos da sétima arte como O Exterminador do Futuro, Passageiro 57, Ela é o Diabo e o Segredo do Abismo (#sdds_showtime).

Apesar de todas as facilidades e esforços da TVA em conquistar o coração do meu pai, nossa relação nunca avançou para o status Prestadora de serviço X Cliente.

Sendo assim, qual era a última alternativa para um jovem mancebo apaixonado por filmes, séries e desenhos e sem nenhum poder aquisitivo na época para bancar seu acesso à essas jóias da cultura POP?

Uma palavra = VIDEOCASSETE!!

O meu sistema era bem simples = Gravar em VHS tudo o que pudesse e assistir exaustivamente as fitas até a próxima abertura do sinal!!

Pensando bem acho que fui o responsável pela criação do conceito de reprise exaustiva!!!

Publicado em Batman 14 – R$ 2.30 – Dez/97

Gibi do Leandro e Leonardo (1991)

leandro_leonardo2

1991, o ano em que as duplas sertanejas despontaram. Na era pré-internet, você podia comprar o LP ou K7 do seu artista favorito, mas também podia ficar esperando a música tocar nas rádios. Daí, corre e aperta o REC para gravar. Ah, e se você quisesse a letra da música? Ou você torcia para alguma revista (estilo Capricho) trazer a letra, ou então…. boa sorte ouvindo frase a frase e escrevendo no caderno.

Nessa época, tudo o que era moda na TV virava gibi. Foi assim que tivemos gibis do Leandro e Leonardo, Chaves e Chapolim (com M no final), gibi do Faustão, da Xuxa, do Sérgio Mallandro, entre outros.

Eu tenho algumas dessas edições em casa. Não porque eu especificamente gostava deles, mas eu comprei em anos recentes nos sebos, pelo valor histórico. Aifnal, o espírito dos anos 90 estão retratados nessas edições.

E confesso que eu achava muito mais legal ver as crianças indo às bancas comprar gibis dos personagens que viam na TV do que vê-las com um celular na mão fazendo sabe Deus o quê.

Publicado em Magali n. 163 (Editora Globo, de Novembro/1991 – Cr$ 450,00

Requeijão Nestlé da Turma da Mônica (1997)

Requeijão

Os feriados de fim de ano sempre me provocam momentos de reflexão!

Por exemplo, como era complicado conseguir um copinho desse aqui quando eu era criança (ainda mais desgostando de requeijão do jeito que desgosto.)

Ganhar um novo copo de beber refrigerante era um “true challenge”!

Algumas tarefas precisavam ser completadas!
1- convencer a “velha” que eu tinha mudado (me tornado um verdadeiro apreciador dessa iguaria)
2 – Passar a saborear as minhas três bisnaguinhas do recreio ou do café da tarde recheadas com o delicioso requeijão Nestlé (tudo pra que essa delícia de derivado do leite acabasse mais rápido e eu ganhasse logo meu copo)!!

Aqui entra o resultado da reflexão (ou as ironias e belezas da vida)!

Ainda sou apaixonado por esses copos!
O que mudou são as tarefas para alcançar o meu prêmio!
1- transferir todo o conteúdo do copo para outro recipiente com tampa e acondicionar corretamente na geladeira.
2 – Chamar um amigo viciado em requeijão para o café da tarde todos os dias por duas semanas!!!

Viram só?!?!
Nem tudo são pedras no processo de amadurecimento do ser humano!!

Publicado em Magali 209 – R$ 1,30 – Jun/97