Galak (1964)

Nosso amigo, colaborador e ‘enciclopédia Disney ambulante’ Victor235 desenterrou uma tirinha SENSACIONAL (e até então inédita para mim) do chocolate Galak com personagens Disney.

Trata-se de mais uma daquelas propagandas cujo desenho era feito de forma “caseira”, sem utilizar os desenhistas que de fato produziam as histórias do gibi. Isso é possível de ver na proporção dos personagens e no traço. Vide, por exemplo, o Lampadinha, como está diferente.

E que engraçado mais uma vez apresentarem um chocolate como sendo um nutritivo. Bem… se de fato nessa época eles usavam os ingredientes mencionados (melhor chocolate do mundo e puro leite), talvez fosse mesmo. Hoje, com as “novas fórmulas”, infelizmente só temos gordura e açúcar.

Quero experimentar o Galak de 1964 já!

Publicado em  Zé Carioca 659 – 23 de junho de 1964 – Cr$ 60

Galak

BIS e Cupido Lacta (1966)

propaganda BIS Lacta
Que o BIS é um clássico, todos nós sabemos! Agora, quem vai entregar a idade e assumir que é da época dos chocolates Cupido Lacta? E ainda nos sabores Morango e Limão!
 
Gostaram também da apresentação da marca? “Chocolate Alimento”. Na minha infância, nos anos 80, minha mãe já não pensava assim não… kkk
 
E detalhe: Nessa época o BIS era maior. Ele tinha pelo menos mais uma camada de wafer dentro, e claro, mais uma de chocolate. Infelizmente a maquiagem de produtos reduziu o tamanho de tudo nos últimos anos.
Publicado em Mickey 165 – Julho de 1966 – Cr$ 300
 

Caramelo Embaré (1978)

caramelo-embare-1978

Esta propaganda é para matar saudades de quem comia caramelos Embaré na infância! Naquela época tinha de hortelã, leite, tutti-frutti, chocolate e coco. Embaré, o doce mais gostoso 🙂

A Embaré existe até hoje e continua fabricando caramelos e balas. Leia mais sobre a empresa de laticínios aqui.

Publicado em Irmãos Metralha número 85 – 1978 – Preço da Edição Cr$ 8,00

Chancy da Chambourcy

Esta propaganda do gibi reproduz o que o Chancy da Chambourcy fez em outdoors na cidade de São Paulo.

A propaganda nas ruas tinha um menino “sentado” na margem do outdoor e foi uma sensação.

Ainda bem que aconteceu antes da lei da Cidade Limpa do Kassab, se não nunca teria sido feita.

(sem nome e ano da publicação do gibi)

Chocolate Puck (1983)

Puck
Chocolate Puck (1983)

Texto do nosso leitor e colaborador Silvio Elizei:

Os mais antigos se lembrarão (com profunda saudade gustativa) de um tempo em que, salvo exceções como Dizioli, Danúbio e Chocolates Natal, os chocolates não tinham esse modernoso gosto de vela e textura quebradiça.

Se lembrarão também que existia um leque maior de opções: Tobler, Chocolate Mirabel, Prink, Sönksen, Evelyn, Saturno, Milktex e outras que ou sucumbiram ou foram vorazmente incorporadas. Éramos felizes e sabíamos.

Publicado em Cascão 25 – Ed. Abril – Julho/1983 – Cr$ 140

Baton (1988)

baton
Bayon (1988)

Essa propaganda era daquelas que ocupavam o último quadrinho da página. Geralmente a historinha que possuía esse tipo de inserção tinham outros 3 no mesmo estilo, que somados, completavam uma página inteira.

Acho que era uma maneira de o anunciante pagar mais barato. Ao invés de uma página inteira, 4 anunciantes diferentes pagavam por uma tirinha.

Fato é: Alguém mais tem saudades do Baton antigo? Ou é exagero meu achar que todos os chocolates dos anos 80 eram melhores do que os de hoje?

Publicado em Mickey 470 – Ed. Abril – Novembro/1988 – Cz$ 290,00

Icepop (1983)

icepop
Icepop (1983)

 

Ice Pop é o sorvete mais… epa! Seu mente suja! Estamos num blog de família. E para seu governo, o “gozado” dos anos 80 nada mais era do que algo muito engraçado!

E o que tinha de engraçado nele (ou gozado)?  Bem, digamos que nessa época ainda não existiam, com a popularidade que existem hoje, os geladinhos… ou sacolés, chup-chups, não importa como chamem. Se você quisesse um sorvete, tinha que ir até a padaria. Comprar um “sorvete”, mesmo que hoje conheçamos como geladinho, para gelar em seu freezer ou congelador doméstico era algo incrível!

E acertou quem disse que o Ice Pop foi o pai do Icegurt, vendido hoje pelos “tios” na rua com o carrinho e uniforme azul e rosa com o sininho de bicicleta! É praticamente a mesma coisa. Mas talvez não com o mesmo charme.

E acreditem, o Ice Pop ainda é produzido, agora pela empresa BN Mascarenhas, com sede na Bahia! Com licença que eu estou indo logo ali comprar um pacote….

icepop (1)

Publicado em Mônica 155 – Ed. Abril – Março/1983 – Cr$ 200