Monareta da Monark (1966)

monareta
Monareta 67 Mirim

Texto do nosso leitor e colaborador Silvio Elizei:

Imagine direcionar uma propaganda extensa como essa nos dias de hoje para uma geração que já nasceu imersa na tecnologia e na preguiça. A grande maioria acostumada com uma sedutora foto e um magnético slogan estilo “pá-pum” sequer se daria ao trabalho de ler o “loooongo” texto; os poucos que fizessem isso cairiam na gargalhada com as gírias e a mensagem inocente (isso depois que o Grande Oráculo conhecido como Google lhes revelassem o que raios afinal significa um pônei), mas se identificariam com a impactante mensagem final: “exija do papai”, mas, óbvio, não uma bicicleta, quer dizer, bike e sim um Playstation 4, quer dizer, 5, afinal ,pra que fazer exercício se é mais cômodo (e seguro) ficar trancafiado em prisão domicili…quer dizer no conforto do lar?

Em tempo: o Pelé andava de bicicl…quer dizer, bike? Claro que não! Achas que ele ia abrir mão da luxuosa Aerowillys? O glorioso nome do atleta do século XX vendia até bife pra vegetariano, quer dizer, vegano… Não tem conversa, meu chapa (não?!imagina se tivesse…), quer dizer, demorou,parça, é nóis!

Em tempo: O texto da propaganda diz (com a acentuação original e tudo): “A turma dos mais velhos adorou. Agora, é a vez da turminha barra limpa. A sua vez, amiguinho. É a onda máxima, mora! Diga ao Papai que êle não precisa comprar bicicleta todo ano. Um único tamanho de Monareta serve para muitos e muitos anos. Mostre quanta economia (êle entende disso). Diga à Mamãe que pedalar na Monareta é um exercício legal para você se desenvolver mais depressa e ganhar saúde. Mamãe vai aprovar! E olhe: Monareta tem selim “Mustang” igual a uma sela de verdade, para que você sinta a emoção de cavalgar um pônei. E ainda: Mini-rodas, baixinhas e bem macias (com rodinhas auxiliares, p’ra aprender a andar). Não tem conversa, meu chapa: êste ano o presente é Monareta. Exija-a do Papai!

Publicado em Almanaque Tio Patinhas 16 – Ed. Abril – Novembro/1966 – Cr$ 500

Mesa para futebol de botões Coluna (1978)

Mesa para futebol de botões COLUNA
Mesa para futebol de botões COLUNA

Eu tive o “campo”, mas não a mesa… quando eu queria jogar, tinha apoiar o “campo” na mesa da cozinha mesmo. Ou seja, as partidas tinham que ser disputadas no intervalo entre as refeições.

Na era pré-Playstation, o futebol de botão era o máximo no sentido de uma disputa em “3D”. Era uma delícia colecionar dezenas de times de todas as divisões do futebol, com suas cores vivas e o adesivo do distintivo do time em cima.

Alguns botões, principalmente os mais baratos, tinham rebarbas, que deviam ser devidamente lixadas antes de serem usados no jogo. A qualidade da palheta também fazia uma grande diferença na jogabilidade.

Quem mais jogou futebol de botão?

Publicado em Mônica 97 (Ed. Abril) – Maio/1978 – Cr$ 8,00

Neston (1972)

20140614_160702

A melhor parte de “trabalhar” no Propagandas são as lembranças que acabo revivendo e que nem sabia que ainda as tinha!

O conto desse domingo é sobre futebol.

Aula de educação física na época do colégio era sempre a mesma coisa! Eu era sempre um dos últimos a ser escolhido para os times de futebol. Eu corria bastante, mas não conseguia desenvolver meu talento futebolístico porque meus coleguinhas simplesmente não me passavam a bola!
Tudo iria mudar (ou quase) num torneio entre classes que aconteceu na 8º série!! Com um pouco de confiança e muito saco cheio dessa situação resolvi que não seria mais o último a ser escolhido!! Me reuni com meus colegas últimos, penúltimos e similares e resolvemos montar um time! Poderíamos não ir muito além dos primeiros jogos, mas não passaríamos mais pelo embaraçoso processo de seleção/ exclusão!
A partir daí já fomos batizados de OS PERDEDORES!

Talvez vocês não acreditem, mas esse time acabou chegando às quartas de final do torneio!
Uma mistura de muita sorte, um juiz extremamente parcial e algumas bicudas nos levaram até esse glorioso momento!
E assim teve início a minha meteórica carreira nos “futis” de fim de tarde!!

Moral da história?!?! (Afinal, todo bom conto sempre tem um ensinamento.)

1 – Se estiver com dúvida sobre o que fazer ponha a bola pra frente, faça uma cara de louco e dê uma bela de uma bicuda!! Isso vale pra qualquer situação.

2 – Dois copos cheios de vitamina batida com Neston era o segredo para o meu alto desempenho!

Publicado em O Pato Donald 1084 – Cr$ 0,70 – Ago/72

Bola Pelé da Estrela (1978)

Pelé Estrela

Em ano de Copa do Mundo a ordem é faturar, entende?

Provavelmente a Copa de 1978 (e até antes) não foi a overdose de patriotismo futebolístico publicitário das épocas atuais, mas já tinha alguma coisa.

Bola pro mato, que dá para garantir uns trocados!

Publicado em Pelézinho número 7- Fevereiro de 1978- Preço da edição Cr$6,00

 

Coleção Pelezinho da Estrela (1978)

Image

Pelezinho foi um personagem criado pelo Mauricio de Sousa inspirado no nosso querido Pelé!
As historinhas do Pelezinho eram baseadas nas próprias histórias de infância do nosso rei do futebol (Alguém aí se lembrou de Todo Mundo Odeia o Chris?!).
O personagem foi criado em 1976 como forma de divulgação/ promoção do Pelé de carne e osso.
E como não podia deixar de ser depois dos quadrinhos vieram outros produtos licenciados.
Destaque para o Cine Show Pelezinho e a Bagatela Pelezinho!
O mais “engraçado” aqui é a comparação que podemos fazer entre as formas de divulgação/brinquedos daquela época e os atuais.
Por exemplo, alguém consegue imaginar uma criança de hoje querendo ganhar um quadro negro do Ben 10?
“It´s evolution, Baby!”

Publicado em Pelezinho 11 – Cr$ 7,00 – Jun/78

Copa União (1986)

Image

Que saudade das promoções “Junte e Troque”!
Fala sério!
Pra quê complicar essa fórmula com “Pegue o código secreto + a composição do produto e mande um SMS (custo da ligação + impostos…). Depois é só responder via e-mail as 27 perguntas que serão liberadas em todos os dias pares do mês subsequente ao seu cadastramento e…”

Essa promoção foi criada para aproveitar/ divulgar o campeonato brasileiro de 1987 (que também é chamado de Copa União.)
Creio que os brindes dessa promoção pode despertar um misto de sensações para quem já acompanhava e torcia naquela época.
Um misto de sensações porque esse campeonato patrocinado pela Açúcar União foi um dos mais confusos e polêmicos que o nosso futebol já teve.
Regras que mudavam no decorrer dos jogos, manipulação de resultados…

Publicado em Mônica 194 – Cz$ 7,00 – Jun 86