Baton (1988)

baton
Bayon (1988)

Essa propaganda era daquelas que ocupavam o último quadrinho da página. Geralmente a historinha que possuía esse tipo de inserção tinham outros 3 no mesmo estilo, que somados, completavam uma página inteira.

Acho que era uma maneira de o anunciante pagar mais barato. Ao invés de uma página inteira, 4 anunciantes diferentes pagavam por uma tirinha.

Fato é: Alguém mais tem saudades do Baton antigo? Ou é exagero meu achar que todos os chocolates dos anos 80 eram melhores do que os de hoje?

Publicado em Mickey 470 – Ed. Abril – Novembro/1988 – Cz$ 290,00

Chocolates Garoto (1971)

Image

Respondam rápido!
O que difere a Chocolates Garoto das outras fabricantes de chocolate?
Respondeu certo quem disse que é a única empresa do Brasil que coloca um bombom de banana em sua mais do que conhecida caixa de chocolates amarela.
No começo da sua história, a garoto tinha o nome de fábrica de balas H. Meyerfreund & Cia (sim, ela fabricava balas quando começou a operar).
Essas balas eram vendidas por garotos em pontos de bonde, lá em Vila Velha. Por conta desses detalhes, elas passaram a ser chamar de balas GAROTO!! (As coincidências da vida!)
Além do bombom de banana, a Garoto é responsável pelo Talento, Baton e Serenata de Amor (esse último deixa na lona os concorrentes Sonho de Valsa e Ouro Branco!)
Se você for ou estiver no Espírito Santo, aproveite e vá fazer uma visita na fábrica deste marco do folclore nacional (estou me referindo ao bombom de banana)!

Publicado em Mickey 224 – Cr$ 1,00 – Jun/71

Serenata de Amor (1990)

Um hábito comum nos anos 80 e 90 era a garota ter uma agenda (ou diário) e enchê-lo de “recordações” (papéis de carta, embalagem de bala, ingresso de algum show,  etc). Essa propaganda do bombom Serenata de Amor retrata bem o costume.

A canetinha colorida também é bem característica da época.

Só não gostei do slogan utilizado na propaganda: O bombom das estrelinhas. Prefiria “Amor à primeira mordida” que era utilizado nas propagandas em 1989.

Gibi Almanaque do Cebolinha número 11
Dezembro de 1990 – Preço da edição: Cr$ 110,00