Icepop (1983)

icepop
Icepop (1983)

 

Ice Pop é o sorvete mais… epa! Seu mente suja! Estamos num blog de família. E para seu governo, o “gozado” dos anos 80 nada mais era do que algo muito engraçado!

E o que tinha de engraçado nele (ou gozado)?  Bem, digamos que nessa época ainda não existiam, com a popularidade que existem hoje, os geladinhos… ou sacolés, chup-chups, não importa como chamem. Se você quisesse um sorvete, tinha que ir até a padaria. Comprar um “sorvete”, mesmo que hoje conheçamos como geladinho, para gelar em seu freezer ou congelador doméstico era algo incrível!

E acertou quem disse que o Ice Pop foi o pai do Icegurt, vendido hoje pelos “tios” na rua com o carrinho e uniforme azul e rosa com o sininho de bicicleta! É praticamente a mesma coisa. Mas talvez não com o mesmo charme.

E acreditem, o Ice Pop ainda é produzido, agora pela empresa BN Mascarenhas, com sede na Bahia! Com licença que eu estou indo logo ali comprar um pacote….

icepop (1)

Publicado em Mônica 155 – Ed. Abril – Março/1983 – Cr$ 200

 

Anúncios

Chapinhas Kibon da Aviação (1962)

Chapinhas da Aviação Kibon
Chapinhas da Aviação Kibon

Na charmosa década de 60, que eu não vivi mas gostaria de ter conhecido, já haviam as coleções que movimentavam o universo infanto-juvenil.

Essa prática se seguiu até os anos 90, seja com as coleções de cartões temáticos do chocolate Surpresa, ou com os famosos Tazos.

Não há dúvidas que um palito premiado no sorvete gera sensações tão boas quanto o próprio sorvete.

Bendita época a das coleções!

Publicado em Mickey 121 – Novembro de 1962
Cr$ 35,00

Picolé Yopa (1980)

Yopa-02

Alguns amigos meus não entendem a minha revolta ao encontrar frases de biscoito da sorte chinês nos palitos de sorvete! “Mais convites para sair, menos convites para reuniões.”
“Não existe caminho certo para a felicidade, mas o atalho é feito de sorvete.”

Fizeram isso para substituir o famigerado “Madeira de Reflorestamento”, com certeza. Mas bom mesmo era tirar “Vale outro picolé Yopa”. Eu nunca ganhei a bicicleta ou o gravador (embora quisesse muito) mas perdi as contas de quantas vezes ganhei outro picolé. Era emocionante! A sensação era de ter ganhado na loteria. Era como se o meu dinheirinho da mesada, ganho a duras custas, estivesse sendo investido em ações e elas tivessem dobrado de valor.

Por isso, queremos novamente “a verdadeira fábrica de prêmios.” A Yopa virou Nestlé, então temos certeza de que a fábrica está firme e forte.

Afinal, de frases motivacionais, as redes sociais estão cheias….

Publicado em Mônica 119 (Editora Abril), março de 1980 – Cr$ 22,00

Frutilly (1995)

Cebolinha 97 R$1,20 jan 95

Uma propaganda de um produto que me traz boas lembranças.

O Frutilly sempre foi um dos picolés mais baratinhos da Kibon. Ele era a minha solução nos dias quentes em que meu poder aquisitivo estava em níveis precários.

Não era um desses sorvetes atuais metidos a besta, que se chamam “gelato” e custam 11 reais. Era tão somente bons 50 centavos investidos na padaria da rua.

Gostava até desse mascote que não sei se é um  fantasma, ou um chantili ou outra coisa (não sei nem o nome dele). Hoje ele ocupa um lugar honroso no cemitério dos mascotes junto com o Bocão da Royal e o Chester Cheetah do Cheetos.

Publicado em Cebolinha número 97- Janeiro de 1995- R$1,20

Frutillly Chocolate (1995)

Frutilly

Uma propaganda daquele que nunca foi o “filho bonito” da Kibon.

Longe do prestígio de clássicos como Eskibon e Chicabon, o Frutilly era uma das opções mais baratinhas para tomar um picolé e gastar menos de 1 real (isso lá pelos anos 1990).  E o melhor de tudo, ainda sobrava uns 3 ou 4 reais para alugar uma fita de Mega Drive na locadora e, é claro, comprar um gibi!

Podia não ser um maravilhoso gelato italiano, mas até que quebrava um galho em dias quentes do verão…

Publicado em Chico Bento número 226- Setembro de 1995- Preço da edição R$1,00

Fura Bolo (1993)

Picolé Fura Bolo

Quem tem menos de 15 anos provavelmente não deve se lembrar da saudosa Gelato e seus clássicos como o Cornetto e Fura Bolo. O Cornetto existe até hoje, mas ele trocou de time e foi para a Kibon.

A Gelato nunca soube se faliu, foi vendida, foi incorporada ou que fim levou. Para minha mente infantil não importava muito, só sobrou o lamento de saber que o carrinho da Gelato nunca mais passou nas praias e que delícias como o Fura Bolo derreteram.

Publicado em Mônica 30 anos- Novembro de 1993- Preço da edição Cr$1.800,00

Frutilly Maça Verde (1991)

Frutilly Maça Verde

Uns amavam e outros odiavam o Frutilly com sua mistura diferente de sorvete de fruta com creme.

Não era excepcional, mas era um dos picolés mais baratinhos e uma boa opção para nossas moedas em dias quentes do verão.

A propaganda também apresenta o logo clássico da Kibon (com o K estilizado) e um dos melhores slogans já feitos: É gostoso e fez bem. Criativo, não?
Publicado em Condorito número 1- Setembro de 1991- Preço da edição: Cr$490,00